Três amigos conversam sobre tudo e sobre nada. Não sabemos as suas idades nem as suas experiências de vida, sabemos que se divertiram, muito, na véspera e esperam por alguém. As conversas tornam-se mais envolventes e interessantes. Continuam à espera de alguém, um amigo que faz parte do grupo deles, um amigo de infância, alguém chamado Carlos.
Carlos nunca chega, Carlos pode nem existir. Imaginam a vida de Carlos, como ele podia ser, o que ele podia ser e o que não podia ter sido.
O melhor de nós é tudo o que nos faz sermos nós mesmos, os momentos que nos moldam e nos definem a personalidade. O melhor de nós são também as pessoas que nos rodeiam e nos enriquecem os dias.
No final, o melhor de nós não são as coisas, mas as memórias. Carlos, o amigo nunca presente, por quem aguardam sem saber quando chegará. O melhor de nós às vezes nunca chega. Não chega porque não pode, ou porque já passou. Três amigos que aguardam pela vida, pelo que de melhor ela tem para oferecer, mas assim como os melhores momentos das suas vidas, pode não voltar mais.
Ao Carlos!
—————-
FICHA TÉCNICA
—————-
Texto original – Jorge Geraldo
Encenação – Diogo Marques / Luís Esteves / Miguel Figueiredo
Apoio à encenação – Alexandre Oliveira / Luís de Melo
Operação de Som – Eva Freire Tiago
Operação de Luz – Beatriz Antunes
Fotografia / Cartaz – João Ferreira
Atores – Diogo Marques / Luís Esteves / Miguel Figueiredo
Produção Executiva – Luiz Serrano / Luís de Melo / Jorge Geraldo
Produção – Loucomotiva 2019