SINOPSE
————–
(a partir do conto O URSO de Anton Tchékhov)
São três personagens. Três personagens que procuram algo. Personagens em fúria movidas por circunstâncias distintas. São três personagens que caminham, que gritam, que choram mas que nunca desistem ou se resignam, nem pedem licença para entrar ou para falar ou para lutar. São três personagens que não se ouvem e é a partir desta incomunicabilidade que todas elas evoluem e se caracterizam.
Nesta casa a luz da rua não entra porque as janelas foram seladas e há uma dívida em jogo que determina o futuro de um visitante indesejado. Há uma mulher, a que mandou selar as janelas, que espera para se vingar, outra que desesperadamente quer festejar o milagre da vida e da juventude. Ah! E a morte… a morte também por cá anda.
“A falta de escuta e contacto entre as personagens do teatro Tchekhoviano parece ecoar no próprio mundo de hoje, dominado por uma linguagem virtual, em que deixamos nas redes sociais os nossos gritos e desabafos, os nossos monólogos. Num tempo em que cada vez mais se alimenta o individualismo cego e cujas inovações tecnológicas, se por um lado permitem maior comunicação, por outro afastam-nos do contacto real, o olhar de Tchékhov parece manter-se surpreendentemente atual.”
—————–
FICHA ARTÍSTICA e TÉCNICA
—————–
Dramaturgia a partir do conto URSO de Anton Tchékhov com tradução de António Pescada e de poemas de Federico Garcia Lorca
—————–
Encenação – Alexandre Oliveira
Interpretação – Alexandre Oliveira, Eva Tiago e Vânia Fernandes
Cenografia e figurinos – Conceção coletiva
Desenho e operação de luz – Diogo Marques
Operação de som – Cátia Soares
Fotografia e design gráfico – João Ferreira
Produção executiva – Luíz Serrano
Produção Loucomotiva 2019

Agradecimentos Bárbara Querido – Ana Filipa Batista – João Cadete – Hugo Inácio – Cátia Ascensão – Sofia Coelho – Maria Inês Gama – Margarida Sousa – Francelina Freire – Filipa Malva – Natália Cardoso – Dulcineia Rosado e a todos os que contribuíram para a concretização deste projeto.