Com o aumento da especulação imobiliária, casas abandonadas são cada vez menos, casas assombradas, então, são já coisa do passado. Exceto as Casas Assombradas em que pagamos bilhete para entrar.
A Bela Casa Assombrada é a melhor casa assombrada do mundo… vá, da Europa, onde um susto vale por três, mas de momento não assusta grande coisa. Falta carisma, faltam recantos escuros, faltam fantasmas, faltam zombies e vampiros e em alguns dias falta até à água…
Remodelações e contratações variadas, sustos de todos os tamanhos e para todos os gostos. Uma Casa sem igual, onde não devem entrar nem achar que se vão divertir. Aqui todos passam à História, aqui quem entra já não sai, nunca mais. E todos os que se finam e ficam pelo caminho, sabem que ao menos têm trabalho garantido, até porque… Na melhor Casa Assombrada da Europa, vá, nem a morte é desculpa para se deixar de trabalhar.
———————–
(Texto original de Jorge Geraldo, com encenação de Alexandre Oliveira e Luís de Melo, desenho de luz de Diogo Marques, cartaz por João Ferreira e produção executiva de Luiz Serrano).